top of page

Gerenciamento de equipes em projetos: do escritório ao campo

O gerenciamento de projetos consistem em aplicar os conhecimentos, habilidades, ferramentas e técnicas às atividades do mesmo para atender os seus requisitos. Este gerenciamento é realizado por meio de processos que podem ser agrupados em cinco etapas (ENAP, 2013):

  • Iniciação: Define e autoriza o projeto ou uma fase do projeto.

  • Planejamento: Define e refine os objetivos, planejando a ação necessária para alcançar os objetivos e o escopo para os quais o projeto foi realizado.

  • Execução: Integra pessoas e recursos para realizar o plano de gerenciamento do projeto.

  • Monitoramento e controle: Mede e monitora regularmente o processo para identificar variações em relação ao plano previamente definido, de forma a tomar ações corretivas, quando necessário, para atender o objetivo do projeto.

  • Encerramento: Formaliza a aceitação do produto, serviço ou resultado e conduz o projeto ou a sua fase para o final ordenado.

Nesse sentido, alguns autores consideram que os projetos devem ser vistos e estudados como processos sociais, cujos objetivos, planos, normas, formas de organização, crises e outros assuntos, sejam tratados, negociados, debatidos e rejeitados por meio dos relacionamentos entre os atores participantes da organização temporária (Cicmil & Hodgson, 2006). Esses participantes compartilham as suas experiências, suas compreensões sobre o local onde atuam, sua noção de formas de trabalho e suas potencialidades, todas sujeitas à confirmação e mudança.

Ao iniciar novas obras é necessário que se tenha uma boa comunicação, informação, organização e planejamento. Todas as etapas que envolvem o fluxo de trabalho para a obtenção do êxito na conclusão das atividades devem ser previamente definidas. A troca de informação dentro e fora dos canteiros de obra tem um papel de extrema relevância na produtividade dos processos de planejamento e execução.

O maior desafio está em garantir que os profissionais envolvidos no projeto tenham todos os dados cabíveis de cada um deles, influenciando diretamente nos resultados, na eficiência e segurança nas obras. Por isso, nossa empresa atua com uma gestão da obra dentro e fora do canteiro, onde a comunicação é ágil e eficaz perante as nossas atividades. Além disso, buscamos sempre adotar uma linguagem clara, simples e coerente, estabelecendo os processos a serem seguidos, com a capacidade de fornecer as informações e instruções necessárias para todas as equipes envolvidas nas frentes de serviço.



Nossas atividades se iniciam no escritório, estendem-se ao trabalho operacional de campo e, por fim, chega novamente ao escritório para compilação de dados e efetivar as suas entregas finais, mantendo sempre a informação e canal aberto para a comunicação com o cliente.


Referências:

Escola Nacional de Administração Pública – ENAP. (2013). Módulo 1: Introdução ao Gerenciamento de Projetos. Disponível em: < https://repositorio.enap.gov.br/bitstream/1/1092/1/GerenciaDeProjeos_modulo_1_final_.pdf> Acesso em 01 de set. 2023. Brasília – DF, 2013.

Cicmil, S., & Hodgson, D. (2006). New possibilities for project management theory. Project Management Journal, 37(3), 111-122.

87 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page